Ao julgar um recurso especial, o Superior Tribunal de Justiça –STJ –  determinou o cancelamento de inscrição feita no SERASA sem prévia notificação do consumidor. A situação ocorreu porque, diferentemente do que ocorre no procedimento de protesto, o SERASA efetuou negativação sem notificar previamente o devedor.

A negativação direta no SERASA é uma prática que não possui um procedimento exaustivamente descrito em lei. Muitas vezes o devedor nem fica sabendo que foi negativado e, ainda que seja previamente comunicado a respeito de uma dívida com a qual não concorda, não sabe o que fazer para evitar a negativação. O artigo 43, §2º do Código de Defesa do Consumidor prevê que a abertura de registro deverá ser comunicada previamente ao consumidor, mas, muitas vezes, um registro é feito diretamente no SERASA sem que o consumidor seja notificado. Foi o que aconteceu no caso julgado pelo STJ, em que o devedor não foi previamente comunicado a respeito de um registro referente à devolução de cheque sem fundos. O Tribunal determinou o cancelamento do registro, com o fundamento de que a inscrição em serviços de proteção ao crédito sem a prévia notificação é ilegal.

Com o serviço de protesto de títulos tal situação não ocorre.

Quando uma dívida é encaminhada a protesto, há um procedimento detalhadamente regulado em lei, sendo que uma das etapas desse procedimento é a intimação do devedor para , no prazo de 3 dias úteis, comparecer em cartório e efetuar o pagamento da dívida. A intimação contém a descrição completa da dívida, permitindo que o devedor, se entender indevida a cobrança, providencie a sustação do protesto. Por essa razão o procedimento do protesto é seguro tanto para o credor, que se utiliza de um instrumento perfeitamente delineado em lei, quanto para o devedor, que tem um prazo legal para pagar ou adotar providências que evitem o protesto.

Quando a inscrição em cadastros de crédito é antecedida do protesto da dívida, a situação que foi objeto da decisão judicial acima mencionada jamais ocorre, pois no procedimento do protesto o devedor SEMPRE é previamente intimado para comparecer em cartório e efetuar o pagamento da dívida. Somente depois de intimado e decorrido um prazo de 3 dias úteis sem que ocorra o pagamento é que o protesto é lavrado. Uma vez lavrado e registrado o protesto, uma certidão é emitida e enviada aos órgãos de proteção ao crédito, que incluem o protesto em seu cadastro, de maneira segura e regular.

Leia a decisão judicial clicando aqui.

   

Notícias

Notícias
  • Credores recorrem mais a protesto

    Matéria publicada pelo Jornal Diário do Comércio, de 31 de dezembro último, que entrevistou o tabelião de protesto de Ibirité sobre o assunto. Veja a matéria na edição impressa clicando [leia mais ]

  • CUIDADO COM OS BIRÔS DE CRÉDITO

    O Jornal Diário do Comércio publicou artigo que alerta para os perigos de se utilizar a negativação direta, sem prévio protesto. A prática da negativação direta é ilegal, pois o [leia mais ]

  • A SEGURANÇA JURÍDICA DO PROTESTO
    A SEGURANÇA JURÍDICA DO PROTESTO

    O Jornal do Congresso Nacional publicou artigo de autoria do Dr. Cláudio Marçal Freire,  estudioso e especialista em protesto extrajudicial, no qual se expõe o aspecto de segurança jurídica do [leia mais ]

  • VOLUME DE TÍTULOS PROTESTADOS AUMENTA
    VOLUME DE TÍTULOS PROTESTADOS AUMENTA

    A empresa Boa Vista Serviços S/A divulgou pesquisa que demonstra um aumento de 9,4%, este ano, dos títulos protestados no País. Se por um lado o índice aponta um aumento [leia mais ]

  • Condomínios diminuem inadimplência com protesto

    Especialistas em administração de condomínios têm aconselhado o uso do protesto como instrumento de recuperação de crédito e diminuição da inadimplência no pagamento dos encargos condominiais. O advogado e especialista [leia mais ]

Utilidade pública

Utilidade pública
  • CONHEÇA O PROCEDIMENTO DO PROTESTO
    CONHEÇA O PROCEDIMENTO DO PROTESTO

    Para que você possa conhecer todas as etapas do procedimento do protesto, preparamos um vídeo bem explicativo. O protesto de títulos e outros documentos de dívida é um procedimento eficaz para recuperar um crédito que não foi pago no seu vencimento. Saiba como ele funciona e não fique mais sem receber [leia mais ]

  • Negativação sem protesto é ilegal

    Segundo Alex Sandro Ribeiro, advogado especializado em Microempresas, a negativação de um devedor sem protesto prévio viola a lei. Em artigo publicado no portal Âmbito Jurídico, o advogado pondera que a Lei de Protesto é muito clara, em seu artigo 29, §2º, ao exigir prévio protesto para inserção de devedores [leia mais ]

  • Cuidado com o cadastro positivo!

    O cadastro positivo apresenta grandes riscos que não são revelados por quem oferece esse serviço! Em artigo publicado no Jornal Estado de Minas, o Dr. Evérsio Donizete, tabelião substituto de Uberlândia, explicita os riscos do cadastro positivo, que são escondidos pelos agentes financeiros que o oferecem ao público como se [leia mais ]

  • CHEQUES DEVOLVIDOS DEVEM SER PROTESTADOS LOGO
    CHEQUES DEVOLVIDOS DEVEM SER PROTESTADOS LOGO

    Protestar um cheque é medida que deve ser adotada logo depois de o cheque ser devolvido. Se você recebeu um pagamento em cheque e este não foi honrado, tendo ocorrido sua devolução pelo banco, sem liquidação, não deixe passar tempo sem protestá-lo. Quanto mais tempo decorre entre a devolução do [leia mais ]

  • Protesto e SERASA: entenda

    É importante que se saiba que os cartórios de protesto não fazem a gestão dos bancos de dados de entidades de crédito, como a SERASA ou a Boa Vista. O público em geral e os operadores do direito (juízes, advogados, promotores e outros) em especial devem estar informados a respeito [leia mais ]

Jurisprudência

Jurisprudência
  • STJ CONSAGRA O PROTESTO COMO INSTITUTO EXTRACAMBIAL
    STJ CONSAGRA O PROTESTO COMO INSTITUTO EXTRACAMBIAL

    Em decisão brilhante e histórica, o egrégio Superior Tribunal de Justiça (STJ) reafirmou a importância do protesto como meio eficiente de recuperação de crédito. Relatado pelo eminente Ministro Herman Benjamin, o acórdão afirmou textualmente que o protesto constitui “modalidade alternativa para cobrança de dívida”, não se aplicando apenas a dívidas [leia mais ]

  • STJ julga abusiva negativação direta no SERASA
    STJ julga abusiva negativação direta no SERASA

    Ao julgar um recurso especial, o Superior Tribunal de Justiça –STJ –  determinou o cancelamento de inscrição feita no SERASA sem prévia notificação do consumidor. A situação ocorreu porque, diferentemente do que ocorre no procedimento de protesto, o SERASA efetuou negativação sem notificar previamente o devedor. A negativação direta no [leia mais ]

  • STJ decide que duplicata virtual pode ser protestada

    O Superior Tribunal de Justiça (STJ) jogou a última pá de cal sobre o equivocado e ultrapassado entendimento de que a duplicata virtual dependeria da prévia remessa da duplicata de papel ao sacado. No julgamento dos embargos de divergência em recurso especial nº 1.024.691-PR, ficou decidido que a duplicata pode [leia mais ]

  • Titularidade de cartório depende de aprovação em concurso público

    O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu que o exercício da atividade de tabelião depende de prévia aprovação em concurso público de provas e títulos. Tal decisão é importante porque garante que a atividade notarial e registral seja exercida por pessoas qualificadas e idôneas, de forma a assegurar à população a [leia mais ]

  • Negativação de devedor sem protesto prévio pode causar dano moral

    STJ decide que inscrição de devedor em cadastro de proteção ao crédito sem prévio protesto pode levar a indenização por dano moral. Este foi o entendimento adotado no Agravo 1275303 / SP, no qual o Egrégio Tribunal afirmou que, quando efetuado o regular protesto da dívida, a inscrição do devedor [leia mais ]

Rua Hilário Ferreira de Freitas, 118-A, Central Park - CEP 32.400-000 - Ibirité - MG - F: (31) 3599-6192 - FAX: (31) 3599-7046 Horário de funcionamento: de 9:00 às 12:00 e de 13:00 às 17:00 Suffusion theme by Sayontan Sinha